Voto contra medida editada para reprimir movimento de caminhoneiros

O senador Alvaro Dias criticou e defendeu o voto contrário, na sessão plenária desta quinta-feira (07), à medida provisória que modifica o Código de Trânsito para prever como infração gravíssima a conduta de usar veículo para interromper, restringir ou perturbar deliberadamente a circulação em vias públicas. O senador lembrou que o governo Dilma editou essa medida para tentar arrefecer movimento dos caminhoneiros, realizado no final do ano passado.

“Incapaz de dialogar e resolver impasses, o governo Dilma lança mão de uma medida provisória para desestimular o bloqueio nas estradas do País, como o que foi realizado pelos caminhoneiros. E se não bastasse o conteúdo repressivo da medida, o texto agora incorpora mais de 20 páginas. Ele chegou ao Congresso Nacional como medida provisória de pouco mais de uma página e chega ao Senado com 20 páginas aproximadamente. Uma alteração pontual da lei se transformou em uma verdadeira reforma do Código de Trânsito Brasileiro, realizada por meio de carona em uma medida provisória. Por essa razão, quero registrar o meu voto contrário a esse projeto”, disse o senador.

Apesar de seu posicionamento contrário à medida, o Líder do PV não tentou usar de expedientes de obstrução à votação. Ainda mais porque foram feitas algumas mudanças na medida, como, por exemplo, a concessão de anistia às multas e sanções aplicadas aos caminhoneiros participantes do movimento grevista iniciado em 9 de novembro de 2015. O movimento obstruiu as estradas do país como forma de manifestação contra o aumento do valor do frete, a alta de impostos, elevação nos preços de combustíveis, dentre outras reivindicações.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram