Velocidade, qualidade e quantidade são os vetores do sucesso na educação

Na audiência pública desta terça(29/10) para debater o PNE, o presidente do Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina, Maurício Fernandes Pereira, disse que para revolucionar a educação pública no País é preciso equacionar a fórmula velocidade, qualidade e quantidade. “Rússia e China têm feito esse dever de casa e os resultados são muito satisfatórios”, acrescentou. Segundo ele, um estudo em escolas públicas com altos índices de qualidade apontou para a necessidade urgente de planejamento e estratégia na educação. Maurício apresentou dados que mostram que, no ranking mundial da Unesco, o Brasil tem maior descompasso entre riqueza e outros fatores, como educação: “Estamos muito mal nos indicadores internacionais”.O presidente do Conselho defendeu a aprovação urgente do Plano Nacional de Educação, relatado pelo senador Alvaro Dias: “PNE já. Nós não podemos mais esperar. Sem uma política de Estado, a nossa nação fica à mercê de políticas do governo. A partir do PNE, nós teremos na sequência os planos estaduais e municipais de educação e poderemos gerir a educação a partir de referências seguras. O PNE vai garantir um reforço para a democracia”. Maurício Fernandes defendeu ainda a autonomia dos Conselhos de Educação, a manutenção do trabalho das APAES e o estabelecimento de prazos para a implementação das metas do PNE: um ano para os Estado e dois anos para os municípios. “O Estado brasileiro tem de assumir a educação como prioridade absoluta”, finalizou

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram