Repúdio à tentativa do PT de usar Prêmio Nobel da Paz para condenar o processo de impeachment

O senador Alvaro Dias repudiou a utilização, pelos parlamentares do PT, da figura do argentino Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1980, para falar no Plenário contra o processo de impeachment da presidente Dilma. Esquivel, em visita a Brasília, esteve no Palácio do Planalto com a presidente Dilma e parlamentares do PT e do PCdoB, e posteriormente, ao visitar o Senado, foi convidado a se expressar na Mesa Diretora. Em sua fala, o Prêmio Nobel, ladeado por senadores do PT, condenou o impeachment e disse que ele era um “golpe” contra a Constituição.

Para o senador Alvaro Dias, o PT, com sua atitude, promoveu uma humilhação pública ao reconhecido ativista de direitos humanos, e tentou se valer de uma manobra de esperteza para sua campanha contra o impeachment.

“O sr. Esquivel não merecia esta humilhação que lhe foi imposta, porque foi isso que aconteceu. Ele foi humilhado por ter sido utilizado pela esperteza política. Onde ele esteve antes de chegar aqui? Ele esteve com a presidente Dilma, de quem ouviu que se trata de golpe. Então, ele apenas repercutiu aqui a balela que ouviu lá no outro lado da rua, repercutiu aqui a falácia que apreendeu lá. Se tivesse antes conversado, por exemplo, com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso, ouviria que a legalidade do processo do impeachment é inquestionável, ouviria que golpe seria o crime de responsabilidade sem punição. Enganaram o sr. Esquivel, uma figura de respeitabilidade internacional se submete a este cenário de enganação”, disse o senador.

O Líder do PV criticou os parlamentares governistas que tentam impor, no Brasil e no exterior, a narrativa de que há um “golpe” em curso no País. Para Alvaro Dias, os que falam em “golpe” afrontam o Supremo Tribunal Federal, afrontam a Constituição do País e desrespeitam o Poder Legislativo, a quem está entregue a deliberação sobre o impeachment da Presidente da República.

“Repito aqui aquele dito popular mineiro: a esperteza quando é demais, vira bicho e come o dono. Os marqueteiros do PT estão tentando repetir Goebbels: uma mentira repetida muitas vezes se torna verdade. Repetem tanto essa história de golpe, que é uma falácia, na esperança de que se torne verdade. Não se tornará. O impeachment ocorrerá na legalidade e respeitando a Constituição do nosso País”, concluiu o senador Alvaro Dias.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram