Reforma política: sem acordo entre as duas casas do Congresso, tendência é gerar novas frustrações

Uma discussão de reforma política sem estratégia definida, sem interesse do Poder Executivo em liderar sua apreciação, sem entendimento entre Câmara e Senado, produzirá apenas uma grande encenação e, mais uma vez, irá gerar falsas expectativas entre a população. A opinião foi externada pelo senador Alvaro Dias, que em pronunciamento em Plenário, nesta terça-feira, lembrou das diversas outras vezes, nos últimos 16 anos, que deputados e senadores tentaram votar a reforma política no Congresso.

No seu discurso, Alvaro Dias afirmou que em 1999, ano em que ele retornou ao Senado, foi aprovada uma proposta de reforma política que incluiu os mesmos temas que hoje voltam a ser discutidos. Aprovada pelo Senado, esta reforma acabou não sendo levada à frente pela Câmara, e os projetos definidos pelos senadores jamais foram votados pelos deputados. Para o senador, se não for firmado um acordo entre os presidentes das duas casas do Congresso, o mesmo fenômeno se repetirá nesta nova temporada de discussão da reforma política.

“Estamos repetindo o fenômeno de outros anos, discutindo os itens da reforma, até mesmo aprovando projetos, mas sabemos que as proposições dormitarão nas gavetas da Câmara se não houver entendimento entre os presidentes das duas casas. O correto seria a aprovação do projeto que chega a uma das casas já convalidado pela outra casa do Congresso. E a recíproca seria verdadeira. É preciso buscar o consenso, inclusive com a maior participação do Poder Executivo, que nos últimos anos se ausentou de outros grandes temas e debates travados no Congresso. E um desses consensos na discussão da reforma deveria ser a questão da organização partidária. Hoje não temos partidos, mas siglas para registro de candidaturas. Temos organizações precárias, com imposições de cima a baixo, inclusive no momento da escolha de candidaturas majoritárias. Não dá para discutir itens como o financiamento das campanhas eleitorais sem antes definirmos a organização partidária no Brasil”, afirmou o senador Alvaro Dias.

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Siga-nos nas redes sociais
Cadastre-se e seja notificado de todas as novidades do Portal.
Últimos posts
Marinha brasileira se destaca no combate à pandemia do coronavírus

Marinha brasileira se destaca no combate à pandemia do coronavírus

Marco On 12 de fevereiro de 2021 Destaque, Política

Uma balsa com um tanque de 90 mil metros cúbicos de oxigênio líquido atracou, no último sábado, no Porto Encontro das Águas, terminal da Petrobras em Manaus (AM), acompanhada pelo Navio-Patrulha Fluvial “Roraima”, subordinado ao

Alvaro Dias envia ao ministro da Infraestrutura reivindicações do setor produtivo sobre novos pedágios no Paraná

Alvaro Dias envia ao ministro da Infraestrutura reivindicações do setor produtivo sobre novos pedágios no Paraná

Marco On 8 de fevereiro de 2021 Destaque, Política

O senador Alvaro Dias, após receber documento com reivindicações de entidades de classe, empresariais, da agroindústria, do setor de logística de transporte e da sociedade organizada, decidiu enviar ofício ao ministro da Infraestrutura, Tarsício Gomes

Projeto de Alvaro Dias estabelece eleição direta e maior transparência na OAB

Projeto de Alvaro Dias estabelece eleição direta e maior transparência na OAB

Marco On 8 de fevereiro de 2021 Destaque, Política

O senador Alvaro Dias apresentou projeto de lei (PL), esta segunda-feira (08/02), que estabelece eleições diretas para a Diretoria do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de promover outras mudanças que

Alvaro Dias apresenta voto de pesar pelo falecimento do ex-prefeito Salazar Barreiros

Alvaro Dias apresenta voto de pesar pelo falecimento do ex-prefeito Salazar Barreiros

Marco On 5 de fevereiro de 2021 Destaque, Política

O senador Alvaro Dias fez um requerimento solicitando a inserção do voto de pesar pela morte do ex-prefeito de Cascavel, oeste do Paraná, Salazar Barreiros, nos anais do Senado Federal, nesta sexta-feira (5/2). “Com a

Citações

O foro privilegiado é o protetor daqueles que praticam atos de corrupção e permanecem impunes.

Mais de 90% da população deseja o fim dos privilégios das autoridades.

Só com o fim do foro privilegiado podemos afirmar que todos serão iguais perante a lei.

O foro privilegiado é essa perversidade que impede uma mãe de assistir justiça com a condenação de um criminoso que assassinou o seu filho.

Vamos olhar mais para o campo. A agricultura será a salvação do Brasil no pós-pandemia. A agricultura será fundamental.

Ao longo do tempo, o Brasil valorizou pouco a agricultura, deveria ter valorizado mais.