Nova promessa quebrada: governo Dilma vai diminuir em 75% a concessão do Vale-Cultura

Reportagem do jornal “O Globo” desta segunda-feira (1º/2) revela que o Ministério da Cultura decidiu propor a revisão de uma meta apresentada pelo governo Dilma para o Vale-Cultura. Devido à lentidão das adesões ao benefício, o programa, que segundo a promessa da presidente da República, iria beneficiar 12 milhões de trabalhadores até o fim de 2020, deverá sofrer uma redução de 75%, passando a atingir apenas três milhões de brasileiros até o fim da década.

De acordo com “O Globo”, o encolhimento da concessão do benefício será discutido depois do fim do processo de consulta pública de revisão das metas do PNC, que vai até o próximo dia 15. O jornal afirma ainda que os sinais de desaceleração começaram a aparecer quando a presidente Dilma sancionou, em janeiro deste ano, o Plano Plurianual 2016-2019. Nele, o governo projeta apenas dois milhões de beneficiados pelo vale-cultura até 2019, número bem distante dos propalados 12 milhões.

Além de descumprir promessa feita na campanha eleitoral de 2014, para concessão de benefício à população, o governo federal, na área da cultura, continua sonegando à sociedade as informações sobre as centenas de projetos culturais que captaram, nos últimos anos, recursos por meio de renúncia fiscal. O site do Ministério da Cultura, até hoje não disponibiliza aos cidadãos informações pertinentes à aplicação de recursos públicos aportados mediante o incentivo do governo a projeto culturais.

Para tornar pública essas informações, o senador Alvaro Dias apresentou projeto que obriga a publicação na internet de dados sobre projetos culturais que tenham captado recursos por meio de renúncia fiscal e não foram objeto de avaliação final pelo Ministério da Cultura. O projeto, aprovado nas comissões e no Plenário do Senado, recentemente foi aprovado por unanimidade na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara, e agora será apreciado na Comissão de Cultura daquela Casa.

Pela proposta de Alvaro Dias, é obrigada a publicação da relação completa de todos os projetos concluídos sem a avaliação final do Ministério da Cultura. As informações, explicou o senador, ao justificar o projeto, vão constituir um “portal da transparência” na área de incentivo à cultura, o que também vai permitir a fiscalização por parte de entidades da sociedade civil. O Tribunal de Contas da União (TCU), conforme informou o senador na justificativa de sua proposta, tem constatado irregularidades no acompanhamento e na prestação de contas de iniciativas financiadas pela Lei Federal de Incentivo à Cultura (a Lei Rouanet – Lei 8.313/1991). Por isso, na opinião do senador, se faz necessário o aperfeiçoamento da fiscalização de projetos culturais custeados com recursos públicos.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram