Na Unale, Alvaro Dias falou sobre a falência da República e a necessidade de sua refundação

O senador Alvaro Dias foi um dos cinco pré-candidatos à presidência da República a falar sobre os desafios e as propostas para o futuro do Brasil durante a 22ª Conferência Nacional da Unale (União dos Legisladores e Legislativos Estaduais). O evento aconteceu nesta quinta-feira (10), na cidade de Gramado (Rio Grande do Sul), e o senador Alvaro Dias falou durante o painel “Panorama Político Nacional”, que integrou a programação da Conferência. O formato do painel, mediado pela jornalista da RBS, Rosane de Oliveira, possibilitou o debate entre pré-candidatos para as eleições de 2018 e mostrou as ideias centrais dos programas de governo de Alvaro Dias (Podemos-PR), Manuela D`Ávila (PcdoB-RS), Ciro Gomes (PDT-CE), Guilherme Boulos (Psol-SP) e Henrique Meirelles (MDB-GO).

Falando para um público de mais de mil pessoas formado, essencialmente, por deputados e servidores das Assembleias Legislativas, mas também por delegações internacionais, autoridades e estudantes, Alvaro Dias destacou que este momento é crucial para o futuro do Brasil. Segundo disse o senador, essas próximas eleições serão as mais importantes desde a redemocratização.

“Os ventos da mudança sopraram em 2013 com a série de manifestações pelo Brasil. Esse vento alcançou o Poder Judiciário, a polícia e chegou à classe política de mais maneira mais forte ainda agora. Precisamos refundar a República, hoje baseada na corrupção e na incompetência, e essa refundação vai acontecer quando formos todos iguais perante a lei. Ou nós mudamos, ou seremos atropelados”, afirmou.

Na sua fala aos legisladores estaduais, o senador Alvaro Dias condenou o balcão de negócios que, segundo ele, se iniciou no governo federal e se alastrou para os governos estaduais e para as prefeituras. Para o senador, a grande missão que o próximo presidente precisa ter é a refundação da República e a extinção do sistema promíscuo de governabilidade.

“A grande missão é a refundação da República, que passa prioritariamente pelo desmonte do sistema de governança corrupto, a fábrica de escândalos, a matriz dos governos incompetentes, que foi instalado em Brasília e clonado para estados e municípios, distribuindo a corrupção e a incompetência”, afirmou o senador.

Para Alvaro Dias, a refundação da República começa quando todos os homens públicos e autoridades se submeterem de verdade à imposição da lei. “Os problemas do Brasil começam no desrespeito frontal a lei. Somos legisladores, autoridades responsáveis pela elaboração da legislação, mas muitas vezes elaboramos mal as leis e não alcançamos os objetivos que deveriam ser propugnados na elaboração das leis. Outras vezes nós que elaboramos as leis ignoramos que a governabilidade está rimando com a promiscuidade. E isso significa o falecimento da República”, afirmou.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram

2 respostas

  1. Alvaro Dias
    Sua pessoa me é muito simpática e politicamente me agrada. Lamentavelmente, tomei conhecimento pela imprensa que você é contrário à privatização da Eletrobrás. Para mim, a Eletrobras é um antro de incompetentes e ladrões que somente dão prejuízo ao Brasil. Não adianta dizer que vai acertar a Empresa e torná-la lucrativa. Manter a Eletrobrás como uma estatal é querer manter a corriola para desviar dinheiro do povo. Você é um bom político mas ainda precisa mudar alguns conceitos. Perdeu meu voto.
    Guilherme

    .

Os comentários estão desabilitados.