Inflação fecha 2015 em 10,67%, estoura o teto da meta e é a maior desde 2002

A inflação oficial no Brasil fechou o ano de 2015 em 10,67%, um percentual muito acima do limite máximo da meta do governo, que é de 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, podendo oscilar de 2,5% a 6,5%. O resultado apresentado pelo IBGE marca a maior alta de preços anual no Brasil desde 2002, quando a inflação oficial ficou em 12,53%. Em 2014, a inflação havia sido de 6,41%, dentro, portanto, do limite máximo da meta.

No mês de dezembro, segundo o IBGE, a inflação desacelerou em relação ao mês anterior (1,01%) e ficou em 0,96%. Apesar da desaceleração, a taxa foi a mais expressiva para dezembro desde 2002. No último mês de 2014, a inflação tinha se situado em 0,78%. Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foram divulgados nesta sexta-feira (8) pelo IBGE. Como a inflação estourou a meta, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, terá que publicar uma carta aberta explicando por que a meta foi descumprida. Dos nove grupos avaliados pelo organismo, os destaques em dezembro ficaram com Alimentação e bebidas (1,50% de alta) e Transportes (1,36% de aumento).

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram