Governo faz concessões exageradas para Olimpíadas sem garantia de retorno, afirma Alvaro Dias

O Plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira (7), Projeto de Lei que detalha os acordos firmados pelo Brasil para receber os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. As regras para venda de ingressos estão incluídas na proposição. O projeto também prevê medidas visando garantir a segurança do público e dos atletas e impedir manifestações racistas, xenófobas ou discriminatórias em geral.

O senador Alvaro Dias, Líder do PV, votou contra o projeto. Para o senador, a experiência brasileira na realização da Copa do Mundo em 2014 mostrou que o País cedeu a pressões e ofereceu benesses além das necessárias aos organizadores do evento, especialmente à Fifa, uma entidade “notoriamente corrupta”.

“No momento em que o País vive uma crise brutal, em que o governo insiste em recriar a CPMF, fazem-se concessões, que consideramos exageradas, para a realização de um evento que, certamente, não trará o retorno que se espera, a exemplo do que ocorreu com a realização da Copa do Mundo no Brasil. Nós temos exemplos – e eu poderia citar a Grécia como o exemplo mais notável – do desastre em que se constituiu uma Olimpíada realizada à custa de benefícios concedidos, de exageros conferidos. Votamos contra este projeto, sobretudo em razão do precedente que foi a realização da Copa do Mundo, com todos os benefícios, vantagens e concessões feitas pelo Governo brasileiro a uma entidade corrupta, notadamente corrupta, reconhecidamente corrupta, que foi a FIFA”, defendeu o senador Alvaro Dias.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram