Em filiação da Juíza Selma no Podemos, Alvaro Dias reafirma compromisso com o combate à corrupção

Depois de anunciar o senador Reguffe (DF), na semana passada, o Podemos no Senado continua ampliando sua bancada. Nesta quarta-feira (18/09), o partido oficializou a filiação da senadora Juíza Selma (MT), em concorrido ato realizado no Salão Azul do Senado Federal.

Líder do Podemos no Senado, Alvaro Dias vê a ampliação da bancada como consequência da busca por qualidade e do compromisso do partido com a ética e o combate à corrupção.

“Somos uma alternativa partidária que está sendo construída o cuidado de buscar crescimento com qualidade, sobretudo optando pela postura ética, que é a exigência maior do povo brasileiro”, enfatiza Alvaro Dias.

Mais votada do Estado do Mato Grosso, a senadora Juíza Selma exerce seu primeiro mandato político. Integrante do grupo “Muda Senado” e favorável à CPI dos Tribunais Superiores, a parlamentar diz estar “feliz e honrada” pelo convite do Podemos.

“Mantenho meus princípios de magistrada e de pessoa que preza pelo combate à corrupção. No Podemos, reitero meu compromisso com o povo mato-grossense e com o Brasil, e com o comportamento ético no trato da coisa pública”, garante.

Desde o início da atual legislatura, o Podemos foi o partido que mais cresceu no Senado. Passou de cinco para 11 parlamentares, e atualmente já é a segunda maior bancada de senadores.

“É um partido transparente, que dialoga com a população. Somos independentes de governos e responsáveis com o Brasil”, assinala a deputada federal Renata Abreu (SP), presidente nacional do Podemos.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram

Uma resposta

  1. Senador Álvaro, sou contra a PEC que viabiliza a o fim da estabilidade do funcionário público. Isso porque em cidade de até 100 mil habitantes existe muita perseguição política por o cidadão ser contra a corrupção e por ter votado contra o atual gestor. Além disso cargos como o de professor traria para educação um grande problema pois numa eventual brecha para perseguição política se contrária pessoas inadequadas para a substituição além de que para crianças pequenas comprometeria de rendimento pois elas têm dificuldades em se acostumar com trocas. Tem outros motivos os quais sou contra esse projeto de PEC. Espero que seu partido reveja isso não aprove essa forma de perseguição política.

Os comentários estão desabilitados.