Dilma prometeu juros “em nível civilizado”, mas Brasil é o campeão mundial disparado

Em pronunciamento transmitido em rede de rádio e TV para comemorar o Dia de Trabalho, em 30 de abril de 2012, a presidente Dilma disse ser “inadmissível que o Brasil, que tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos, continue com um dos juros mais altos do mundo”. Naquele pronunciamento, a presidente anunciou a redução de juros por Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal para pressionar os bancos privados na mesma direção. Alguns meses antes, o Banco Central havia iniciado, por pressão do Palácio do Planalto, trajetória de redução da taxa básica de juros, que se encontrava na casa de 12,50%. De julho de 2011 a outubro de 2012, foram feitas diversas reduções na taxa Selic, que caiu para 7,25%, o menor patamar histórico e que se manteve por sete meses. Em maio de 2013, a uma plateia formada por empresários, a presidente Dilma disse que o Brasil possuía juros “em nível civilizado” e que a inflação estava sob controle. Naquele mesmo período, o BC iniciava o chamado “ciclo de alta” dos juros, movimento que não parou mais e culminou, nesta quarta-feira (2), com o nono aumento na taxa básica da economia brasileira. Com a subida de 0,25% decidida nesta última reunião do Copom, os juros agora estão em 11%, acima dos 10,75% do início do governo Dilma, e em um patamar que consolida o Brasil como o campeão mundial dos juros reais, à frente de países como Turquia, Índia, Grécia, Colômbia e Polônia. Como se vê, o Brasil não possui mais “juros em nível civilizado”.

Compartilhe este post

Facebook
Telegram
WhatsApp
Twitter
Email
Siga-nos nas redes sociais
Cadastre-se e seja notificado de todas as novidades do Portal.
Últimos posts
Podemos convida Alvaro Dias para ser candidato a presidente da República

Podemos convida Alvaro Dias para ser candidato a presidente da República

Marco On 5 de agosto de 2022 Featured Política

Durante a Convenção Nacional do Podemos, realizada neste domingo (31/07) em São Paulo, os integrantes do partido presentes no evento fizeram um convite ao senador Alvaro Dïas, aprovado de forma unânime por todos: que seja

Agência Câmara destaca projeto de Alvaro Dias que permite dedução no IR dos gastos com remédios

Agência Câmara destaca projeto de Alvaro Dias que permite dedução no IR dos gastos com remédios

Marco On 5 de agosto de 2022 Featured Política

A Agência Câmara de Notícias deu destaque ao projeto do senador Alvaro Dias que altera a legislação para permitir a dedução, no Imposto de Renda, das despesas com medicamentos de uso contínuo e de alto

Alvaro Dias aprova no Plenário 90 milhões de dólares para a educação no Paraná

Alvaro Dias aprova no Plenário 90 milhões de dólares para a educação no Paraná

Marco On 5 de agosto de 2022 Featured Política

O senador Alvaro Dias garantiu a aprovação, nesta quarta-feira (03/08), do seu relatório favorável à autorização para contratação de empréstimo de US$ 90,56 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o financiamento do Programa

Segue para sanção projeto de Alvaro Dias que garante a agricultores maior acesso a soluções tecnológicas

Segue para sanção projeto de Alvaro Dias que garante a agricultores maior acesso a soluções tecnológicas

Marco On 5 de agosto de 2022 Featured Política

Está seguindo nesta semana para sanção do presidente da República o projeto do senador Alvaro Dias que tem como objetivo permitir aos agricultores acesso rápido e abrangente às tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa

Citações

O foro privilegiado é o protetor daqueles que praticam atos de corrupção e permanecem impunes.

Mais de 90% da população deseja o fim dos privilégios das autoridades.

Só com o fim do foro privilegiado podemos afirmar que todos serão iguais perante a lei.

O foro privilegiado é essa perversidade que impede uma mãe de assistir justiça com a condenação de um criminoso que assassinou o seu filho.

Vamos olhar mais para o campo. A agricultura será a salvação do Brasil no pós-pandemia. A agricultura será fundamental.

Ao longo do tempo, o Brasil valorizou pouco a agricultura, deveria ter valorizado mais.