Comissão de Ética da Presidência não cobrou explicações a ministro sobre consultorias milionárias

Reportagem do jornal “O Globo” deste fim de semana revela que os membros da Comissão de Ética da Presidência da República não cobraram explicações do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, sobre as consultorias prestadas por ele antes de assumir o cargo no governo. Diz o jornal que a comissão ignorou páginas do processo que mostravam que Pimentel teria recebido recursos por consultorias prestadas a um fabricante de refrigerantes que, à época, tentou negar a contratação do ministro. A representação na Comissão de Ética da Presidência, que originou o processo contra Fernando Pimentel, foi apresentada pelo senador Alvaro Dias, junto com o deputado Duarte Nogueira. “Os indícios de fraude foram relatados em cinco folhas do procedimento na comissão, mas não levaram os conselheiros a cobrar explicações de Pimentel, nem a defesa dele apresentou dados sobre a consultoria”, afirma “O Globo”. O jornal diz ainda que o conselheiro Fábio Coutinho, que se manifestou contrariamente ao arquivamento do processo, foi substituído pela presidente Dilma antes que houvesse uma decisão definitiva da Comissão sobre o caso. Coutinho havia afirmado que as explicações do hoje ministro eram “imprecisas, insatisfatórias, insuficientes, inconsistentes, inconclusivas e inconvincentes”. Leia mais em O Globo.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram