Começa a tramitar na Câmara projeto de Alvaro Dias que amplia fontes de recursos para pesquisas na Embrapa

Será encaminhado à Câmara dos Deputados o PLS 39/2017, de autoria do senador Alvaro Dias, que inclui entre os recursos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) os oriundos do licenciamento para exploração comercial das tecnologias, dos produtos, dos serviços e dos direitos de uso da marca. O projeto foi aprovado na semana passada em caráter terminativo na Comissão de Assuntos Econômicos, e como não houve qualquer recurso de senador solicitando a apreciação da matéria pelo Plenário do Senado, o texto final agora segue para a Câmara dos Deputados para começar a sua tramitação naquela Casa.

O projeto do senador Alvaro Dias tem como principal objetivo permitir aos agricultores acesso rápido e abrangente às tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A proposição altera a Lei nº 5.851/1972 para prever que constituirão recursos da EMBRAPA aqueles oriundos dos contratos de transferência de tecnologias e dos licenciamentos para exploração comercial de tecnologias, de produtos, inclusive cultivares protegidos, de serviços e de direitos de uso da marca. Essas receitas auferidas deverão ser aplicadas exclusivamente em objetivos institucionais de pesquisa, desenvolvimento e inovação, incluindo a carteira de projetos institucionais e a gestão da política de inovação da Embrapa. Como afirmou o senador na defesa do projeto, trata-se de uma inovação normativa que, sem uso de dinheiro público, melhorará a receita financeira da Embrapa, dará mais autonomia à empresa e maior capacidade para investir em inovação e atuar no mercado de insumos agropecuários.

Atualmente a Embrapa não dispõe de mecanismos jurídicos que agilizem o licenciamento de suas tecnologias, nem que permitam que os recursos arrecadados com os licenciamentos sejam revertidos integralmente no desenvolvimento de novas tecnologias. O projeto moderniza a legislação, corrigindo essa distorção, para valorizar a Embrapa – garantindo mais recursos e menos burocracia – e para facilitar a vida do agricultor, que terá mais facilidade na produção e exploração de tecnologias e produtos desenvolvidos pela empresa.

“Nosso objetivo é ofertar à agricultura brasileira um mecanismo robusto de incremento da concorrência no mercado de insumos agropecuários no Brasil, bem como fomentar o desenvolvimento e distribuição de tecnologias destinadas às pequenas culturas, que nem sempre são de interesse das grandes empresas atuantes no mercado”, diz Alvaro Dias na justificativa do projeto.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram

Uma resposta

  1. Parabéns pela iniciativa e ao apoio a essa relevante instituição de pesquisa, não só no Brasil, mas no mundo! Essa é, de fato, e de direito, por toda a sua produção e importância, uma jóia da coroa.

Os comentários estão desabilitados.