Apoio ao trabalho da força-tarefa da Lava Jato e à legalidade das operações da Polícia Federal

“Discursos contra as instituições que lideram a Lava Jato são apenas mais uma tentativa de jogar uma cortina de fumaça sobre fatos gravíssimos que impõem a ação rigorosa da força-tarefa da operação”. A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, líder do PV, ao debater, no Plenário, a operação realizada pela Polícia Federal na última sexta-feira (4), na qual o ex-presidente Lula foi levado a depor, em cumprimento de decisão judicial.

Ao rebater argumentos de senadores governistas, que protestaram contra a operação Lava Jato, o senador Alvaro Dias criticou a tentativa de trazer para o foco do debate político o que ele chamou de “preciosismos jurídicos” e “detalhes irrelevantes”. Para o senador, o mais importante neste momento é discutir a causa da corrupção no Brasil e quem deve ser colocado atrás das grades pelo monumental esquema corrupto que se implantou no País.

“O debate tenso que vemos hoje no Senado é reflexo da tragédia política nacional que assistimos. Essa discussão inclusive me fez lembrar de uma declaração feita pelo então procurador Antonio Fernando, de que uma organização criminosa arquitetou um complexo e sofisticado esquema de corrupção em nome de um projeto de poder de longo prazo. A partir daquele momento houve esforço descomunal do governo para consagrar um conceito inédito: o crime existe, o criminoso não. Hoje assistimos a repetição desse esforço, a adoção da mesma estratégia, insinuando a existência do crime de corrupção sem admitir-se os principais criminosos. O que se admite é que coadjuvantes dos artífices principais do crime possam ser responsabilizados, mas não, nem de longe, aqueles que se constituíram em artífices principais deste gigantesco e histórico crime de corrupção agora desvendado pela operação Lava Jato”, disse Alvaro Dias.

Para o senador Alvaro Dias, diferente do que foi expressado por parlamentares do PT na tribuna na tarde desta segunda-feira (7), o que ficou patente para a população, após o episódio da condução coercitiva do ex-presidente Lula, é que algo mudou no Brasil.

“O que verificamos no dia 4, com aquele mandado de condução coercitiva para um ex-Presidente da República, é, sim, o retrato da mudança. O conceito arraigado na sociedade brasileira de que a Justiça, no nosso País, existe para os pobres foi substituído pelo conceito correto de que a Justiça é igual para todos”, afirmou o senador Alvaro Dias. “Nós deveríamos estar aqui no Senado Federal para valorizar essas instituições democráticas, que, com independência e ousadia, procuram varrer a sujeira acumulada debaixo do tapete nos últimos anos, promovendo uma mudança radical no nosso País. Essas instituições – Ministério Público, Polícia Federal, Justiça, especialmente a Justiça Federal – reabilitam as nossas instituições, que são reconstruídas sobre os escombros provocados pela descrença generalizada que assaltou o Brasil em razão da prevalência da impunidade nos últimos tempos. O que se vê agora é a reabilitação das esperanças do povo de que a Justiça deve, sim, derrotar a impunidade”, completou o Líder do PV no Senado.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram