Apelo por votação de projeto que ajuda a solucionar impasse entre fundo Aerus e a União

Durante a reunião da Comissão de Assuntos Econômicos, nesta terça-feira (11), o senador Alvaro Dias voltou a fazer um apelo por uma solução que atenda aos aposentados e pensionistas do fundo de pensão Instituto Aerus de Seguridade Social, que estão sem receber os seus benefícios. Alvaro Dias reivindicou do presidente da Comissão, senador Delcídio Amaral (PT-MS), que colocasse na pauta de votação da CAE proposta que autoriza empresas em falência a priorizar o pagamento de aposentadorias e pensões relativas a planos de benefício de entidades fechadas de previdência complementar quando receberem créditos por ações ajuizadas contra a União.

O projeto, PLS 147/2010, autoriza a Advocacia-Geral da União, a Superintendência de Previdência Complementar (Previc), as empresas aéreas e o Instituto Aerus a negociarem diversos aspectos jurídicos e judiciais na tentativa de resolver o problema. Além disso, a proposição também cria uma espécie de fundo de resseguro destinado a complementar benefícios aos participantes e assistidos de fundos de pensão, a ser mantido por contribuições de entidades participantes por parte da arrecadação da Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar e por multas aplicadas pela Previc.

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos, Delcídio Amaral, prometeu pautar a votação do projeto já para a reunião do próximo dia 18. O projeto possui relatório favorável do senador Alvaro Dias, que em seu parecer, explica que a proposição, que estabelece as bases legais para que o governo possa pagar os benefícios do Aerus, atinge a União, as empresas aéreas em processo de falência ou recuperação judicial e os empregados demitidos e aposentados prejudicados com a liquidação extrajudicial do Aerus e do Aeros – Fundo de Previdência Complementar (entidade fechada de previdência complementar responsável pela complementação das aposentadorias e pensões de ex-empregados de empresas como Varig, Transbrasil e Vasp. O parecer do senador será votado em caráter terminativo na CAE, e se aprovado, o projeto seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados, sem precisar passar pelo Plenário do Senado.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram