Apelo pela manutenção das atividades da usina de xisto de São Mateus

O senador Alvaro Dias fez apelo, na tarde desta segunda-feira (15), no Plenário, para que a direção da Petrobras repense seu plano de interromper as atividades da usina de industrialização do xisto, na cidade paranaense de São Mateus do Sul. O senador disse que a iniciativa está presente no plano de desinvestimentos anunciado pelo presidente da estatal, Aldemir Bendine, como forma de cortar gastos de US$ 15,1 bilhões no biênio 2015/16 devido aos problemas enfrentados pela empresa. Alvaro Dias lembrou que as atividades da usina têm impacto sobre a vida de 16 mil pessoas, mais de um terço da população de São Mateus (45 mil habitantes), e que promovem não apenas o desenvolvimento daquela região, mas também contribuem para todo o setor energético brasileiro.

“As nossas preocupações estão voltadas para o sul do Paraná, e em especial, para São Mateus do Sul. A usina de industrialização do Xisto é vital para a economia local. A unidade tem mil funcionários, sem contar com os mais três mil empregos indiretos gerados na região. Inúmeras empresas se instalaram na região após a construção da usina. A unidade recolhe aproximadamente R$ 98 milhões em impostos e royalties por ano. Esse montante representa 48% da renda do município (60 milhões são repassados ao governo do Estado)”, destacou o senador.

No seu pronunciamento, o senador Alvaro Dias ressaltou a dimensão estratégica da usina, que se encontra sediada sobre as maiores reservas mundiais de xisto. O senador pontuou que a produção da usina atende aos mercados do Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. “A Petrobras extrai petróleo e gás do xisto betuminoso na formação Irati, em São Mateus do Sul, pela subsidiária Petrosix. A produção é de aproximadamente 8 mil barris de petróleo de xisto por dia”, disse Alvaro Dias.

Posição oficial

O senador Alvaro Dias afirmou, na Tribuna, que teve uma conversa na última sexta-feira (12) com o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, sobre a questão da usina paranaense, e teria recebido dele a informação de que a posição de sua pasta seria a de defender a continuidade das atividades em São Mateus do Sul. “O ministro Eduardo Braga nos autorizou a tornar pública essa sua posição, contrária ao fechamento da usina de xisto paranaense, e disse ainda que envidará todos os seus esforços para convencer a direção da Petrobras de que esta não é uma alternativa inteligente para resolver os problemas da estatal”, disse o senador.

Além de destacar a posição do Ministério das Minas e Energia, Alvaro Dias informou aos senadores no Plenário que a bancada de parlamentares do Paraná se reunirá com o ministro Eduardo Braga, com objetivo de apresentar informações que revelam a importância da usina de xisto não apenas para a economia local, mas também nacional. O senador disse ainda que as principais lideranças do município, como o prefeito, o vice-prefeito, vereadores e autoridades locais estão engajadas na luta pela manutenção das atividades da usina de São Mateus.

“Hoje estamos diante da possibilidade de que a luz da usina de xisto de São Mateus do Sul se apague. O fechamento da usina seria uma tragédia para toda região sul do Paraná com reflexos que transcendem as fronteiras estaduais. Sua extinção, na esteira dos descaminhos percorridos pela Petrobras, é inaceitável, e por isso fazemos este apelo, para que as atividades não sejam interrompidas e a usina possa continuar promovendo o desenvolvimento e gerando emprego e renda”, concluiu o senador Alvaro Dias.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram