Alvaro Dias entrega à Biblioteca do Senado o livro “Porecatu – a guerrilha que os comunistas esqueceram”

O senador Alvaro Dias anunciou no Plenário, nesta terça-feira (07), a doação, para a Biblioteca do Senado Federal, do livro “Porecatu – A guerrilha que os comunistas esqueceram”. A obra, de autoria do jornalista Marcelo Oikawa, como disse o senador, é emblemática para todos os estudiosos das lutas revolucionárias no Brasil, e resultado de um exaustivo trabalho histórico. Ao descrever a importância do trabalho do autor, Alvaro Dias citou resumo feito pelo professor da Universidade Federal do Paraná, Osvaldo Heller da Silva, que descreveu o itinerário da obra de Marcelo Oikawa:

“É uma narrativa vertiginosa do conflito que representou o momento maior da luta pela terra na região norte do Paraná. Foram duas décadas de pesquisas que oferecem a minuciosa reconstituição dos eventos marcantes que compuseram os sete anos de luta dos camponeses posseiros, secundados por militantes do Partido Comunista do Brasil, o PCB, contra jagunços, fazendeiros grileiros, apoiados pelas forças policiais do Paraná e mesmo de São Paulo”, citou o senador.

Alvaro Dias destacou que a chamada “Guerrilha de Porecatu” começou com a instalação de 300 posseiros em 1940 e que terminou com aproximadamente três mil em conflito em 1951, controlando uma área de 40km2 na região central do norte do Estado do Paraná.

“Como lembra o professor Osvaldo Heller, embalados pelo radical Manifesto de 1950 do PCB e sonhando com a vitória de Mao Tsé-tung, os comunistas queriam que o movimento fosse a fagulha que iria atear o fogo da revolução. Mesmo ao final sendo sufocado pelo cerco policial e resultando o re-assentamento de apenas 380 famílias em outras regiões, a luta armada de Porecatu será o ponto de partida de diversas lutas sociais que eclodiram no decorrer de toda a década de 1950 no Paraná e pelo Brasil afora”, declarou Alvaro Dias, que concluiu afirmando que a doação à Biblioteca do Senado em muito contribui para as investigações históricas que se fazem necessárias para que a população possa conhecer a verdadeira história do País, “com lances que ocorreram no seu vasto interior”.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram