Alvaro Dias defende trabalho dos policiais legislativos e diz que é preciso saber quem autorizou serviço ilegal

Em pronunciamento na Tribuna, o líder do PV, Alvaro Dias, comentou a polêmica envolvendo a prisão de policiais legislativos do Senado, acusados de tentarem atrapalhar as investigações da Lava Jato a partir da destruição de escutas. O senador afirmou que não se deve generalizar as críticas à Polícia Legislativa do Senado, que, segundo ele, é formada, em sua maioria, por servidores sérios, competentes e qualificados. Para o senador, houve claro desvio de finalidade no trabalho da polícia legislativa, mas é preciso destacar quem autorizou o serviço irregular.

“Quando se formula uma crítica a determinado setor do serviço público, deve-se formular consciente de que nem todos são responsáveis. Assim, se há críticas a serem assacadas contra a Polícia Legislativa, elas devem ser corretamente apontadas, formuladas. Nós não podemos imputar responsabilidade a servidores públicos que não a possuem em determinadas circunstâncias. Se há desvio de finalidade numa ação desenvolvida pela Polícia Legislativa, e no meu entendimento houve desvio de finalidade, porque a norma estabelecida dá conta de que a Polícia Legislativa deve atuar no âmbito do Congresso Nacional e nas suas dependências. Portanto, não há legalidade quando a Polícia Legislativa atua em outras dependências alheias às do Congresso Nacional. Não há como imputar responsabilidade a todos os servidores da Polícia Legislativa, que procuram, sim, como aqui já se disse hoje, prestar serviços com competência e certamente com a decência que se exige para essa função. Os meus respeitos a todos esses servidores”, afirmou o senador.

Para o senador Alvaro Dias, é preciso que sejam investigadas as denúncias sobre destruição de escutas, para definir de quem é a responsabilidade e quem ordenou a atuação irregular da polícia legislativa. Para Alvaro Dias, se houve desvio de finalidade com objetivo de comprometer as investigações da Lava Jato, cabe às autoridades judiciárias resolver. Para o senador, a prioridade, neste momento, para a sociedade brasileira, é apoiar a Operação Lava Jato, e não deixar que ela seja comprometida de forma alguma.

“Este não é o momento para a exacerbação fácil e irresponsável, este não é o momento para a provocação, não é o momento para convocação ao enfrentamento entre as instituições. Este é o momento para o exercício constitucional da interdependência dos Poderes e o respeito aos agentes públicos que integram essas instituições essenciais para o Estado democrático de direito. Sim, nós devemos defender a Polícia Federal como uma instituição que exerce a sua atividade despertando as esperanças do povo brasileiro com a geração de expectativa de que, realmente, estamos caminhando para um futuro diferente no Brasil. Nós não podemos deixar de destacar o trabalho da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça. Não é o momento para agressões à Justiça brasileira, não é o momento para agressões à Polícia Federal, não é o momento para agressões ao Ministério Público, porque o povo brasileiro, majoritariamente, apoia essas instituições que estão restabelecendo as esperanças da nossa gente no futuro deste País”, concluiu o senador Alvaro Dias.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram