Podemos recomenda voto a favor da denúncia contra Michel Temer

O Podemos reuniu sua Comissão Executiva nesta quarta-feira (02) e decidiu recomendar, aos deputados federais, o voto pela acolhida da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer. Nesta quarta-feira, a Câmara dos Deputados está votando o parecer da Comissão de Constituição e Justiça contrário à autorização para que o STF abra processo contra o presidente da República por crime de corrupção passiva.

No Plenário do Senado, o líder do Podemos, Alvaro Dias, afirmou que o partido decidiu o caminho da recomendação de voto, em respeito a uma norma partidária que confere a cada parlamentar o direito de exercer o seu mandato de conformidade com a sua consciência, sem imposições de natureza alguma.

“A recomendação do partido é no sentido de que os deputados federais do Podemos votem pela acolhida da denúncia, porque há uma prioridade indiscutível, que é o combate à corrupção no País”, destacou Alvaro Dias.

O líder do Podemos criticou a iniciativa do presidente Temer de demitir 12 ministros para poderem votar na Câmara pela derrubada da denúncia da PGR. “Hoje, lamentavelmente, quem consulta o Diário Oficial da União nota que o presidente da República demite 12 ministros. Só que eles não foram demitidos. A demissão é uma farsa, é uma encenação. Na verdade, os ministros são liberados para votarem e depois retornam aos seus cargos. Obviamente não é uma atitude republicana”, afirmou.

Para Alvaro Dias, esse tipo de providência, que já foi tomada tanto nos governos Dilma como no de Lula, tem relação com o sistema de governança promíscuo do balcão de negócios. “Esse procedimento cabe muito bem nesta usina de escândalos que é o sistema de governança do balcão de negócios que se instalou em Brasília há alguns mandatos. Um sistema já condenado pela opinião pública, mas preservado pelos governantes. Aliás, clonado e transplantado para Estados e Municípios. Alguns Estados e muitos Municípios brasileiros adotaram, na íntegra, esse modelo de governança que se oficializou em Brasília, consagrando a corrupção e a incompetência administrativa de forma absoluta”, disse.

O senador Alvaro Dias afirmou ainda, no seu pronunciamento, que há muitos anos vem atuando na oposição aos últimos governos, e por diversas vezes condenou a barganha, o balcão de negócios, o toma lá dá cá, a compra de votos para a preservação do mandato do Presidente da República.

“Eu tenho afirmado insistentemente que esta é uma prioridade nacional: substituir esse modelo promíscuo de governo. Porque se nós não o substituirmos, certamente o Brasil não alcançará índices de desenvolvimento econômico compatíveis com a sua grandeza e com os valores da sua gente. Certamente nós não alcançaremos, porque esse sistema de governança limita a capacidade de investir em áreas essenciais para a população, como segurança pública, saúde, educação, geração de empregos”, concluiu o senador.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram

Uma resposta

  1. É lamentavel verificar que o metade do novo partido, votou para proteger o Presidente, e conseguentemente seus ministros, todos investigados, estes deputados tinham que ser expulsos, partido que tem mesmo que seja um voto , a favor deste desgoverno não tera o meu voto, nem de 90% da população deste pais!

Os comentários estão desabilitados.